Bênção da Casa na Solenidade da Epifania do Senhor

Todos se reúnem na porta de casa, pelo lado de dentro, com velas nas mãos e água benta. Cantam um hino, como o sugerido abaixo:

Canto Inicial
Cristãos, vinde todos, com alegres cantos. Oh! Vinde, oh! Vinde até Belém. Vede nascido, vosso rei eterno.

Oh! Vinde adoremos, Oh! Vinde adoremos, Oh! Vinde adoremos o salvador!

Humildes pastores deixam seu rebanho e alegres acorrem ao Rei do Céu. Nós, igualmente, cheios de alegria.

O Deus invisível de eterna grandeza, sob véus de humildade, podemos ver. Deus pequenino, Deus envolto em faixas!

Nasceu em pobreza, repousando em palhas. O nosso afeto lhe vamos dar. Tanto amou-nos! Quem não há de amá-lo?

Recitam, então, o Salmo Responsório da Missa do dia (Salmo 71), com o pai ou a mãe lendo os versículos e todos respondendo o responsório:

Salmo 71.

As nações de toda a terra hão de adorar-vos, ó Senhor!

R/. As nações de toda a terra hão de adorar-vos, ó Senhor!

Dai ao Rei vossos poderes, Senhor Deus,/ vossa justiça ao descendente da realeza!/ Com justiça ele governe o vosso povo,/ com equidade ele julgue os vossos pobres.

Nos seus dias a justiça florirá/ e grande paz, até que a lua perca o brilho!/ De mar a mar estenderá o seu domínio,/ e desde o rio até os confins de toda a terra!

Os reis de Társis e das ilhas hão de vir/ e oferecer-lhe seus presentes e seus dons;/ e também os reis de Seba e de Sabá/ hão de trazer-lhe oferendas e tributos./ Os reis de toda a terra hão de adorá-lo,/ e todas as nações hão de servi-lo.

Libertará o indigente que suplica,/ e o pobre ao qual ninguém quer ajudar./ Terá pena do indigente e do infeliz,/ e a vida dos humildes salvará.

Após, todos acendem as velas que carregam nas mãos, e recitam juntos:

Aclamação ao Santo Evangelho

R/. Uma criança é nascida em Belém, aleluia! Com plena alegria canta Jerusalém, aleluia, aleluia. Do Oriente viram a estrela, aleluia, e os santos Reis vêm de longe, aleluia, aleluia.

Em seguida, o pai/ou provedor(a) lê a perícope da Missa da Epifania: Mt 2,1-12:

V/. O Senhor esteja convosco.

R/. Ele está no meio de nós.

V/. Evangelho de Jesus Cristo + segundo São Mateus.

R/. Glória a vós, Senhor.

Tendo nascido Jesus na cidade de Belém, na Judéia, no tempo do rei Herodes, eis que alguns magos do Oriente chegaram a Jerusalém, perguntando: “Onde está o rei dos judeus, que acaba de nascer? Nós vimos a sua estrela no Oriente e viemos adorá-lo”.

Ao saber disso, o rei Herodes ficou perturbado assim como toda a cidade de Jerusalém.

Reunindo todos os sumos sacerdotes e os mestres da Lei, perguntava-lhes onde o Messias deveria nascer. Eles responderam: “Em Belém, na Judeia, pois assim foi escrito pelo profeta: E tu, Belém, terra de Judá, de modo algum és a menor entre as principais cidades de Judá, porque de ti sairá um chefe que vai ser o pastor de Israel, o meu povo”.

Então Herodes chamou em segredo os magos e procurou saber deles cuidadosamente quando a estrela tinha aparecido. Depois os enviou a Belém, dizendo: “Ide e procurai obter informações exatas sobre o menino. E, quando o encontrardes, avisai-me, para que também eu vá adorá-lo”.

Depois que ouviram o rei, eles partiram. E a estrela, que tinham visto no Oriente, ia adiante deles, até parar sobre o lugar onde estava o menino.

Ao verem de novo a estrela, os magos sentiram uma alegria muito grande.

Quando entraram na casa, viram o menino com Maria, sua mãe. Ajoelharam-se diante dele, e o adoraram. Depois abriram seus cofres e lhe ofereceram presentes: ouro, incenso e mirra.

Avisados em sonho para não voltarem a Herodes, retornaram para a sua terra, seguindo outro caminho.

V/. Palavra da Salvação.

R/. Glória a vós, Senhor.

Recitam todos a antífona:

R/. Do Oriente vieram os Magos a Belém para adorar o Senhor, e abrindo os seus tesouros ofereceram presentes caros: ouro para o Grande Rei, incenso para o verdadeiro Deus, e mirra em símbolo de seu enterro, aleluia!

O pai/provedor(a) então, asperge com água benta todos os cômodos da casa, enquanto todos cantam ou recitam o Magnificat:

Canto Mariano

Magnificat anima mea Dominum, et exultavit spiritus meus * in Deo salvatore meo, quia respexit humilitatem ancillæ suæ. * Ecce enim ex hoc beatam me dicent omnes generationes. Quia fecit mihi magna, qui potens est, * et sanctum nomen eius, et misericordia eius in progenies et progenies * timentibus eum. Fecit potentiam in brachio suo, * dispersit superbos mente cordis sui; deposuit potentes de sede * et exaltavit humiles; esurientes implevit bonis * et divites dimisit inanes. Suscepit Israel puerum suum, * recordatus misericordiæ, sicut locutus est ad patres nostros, * Abraham et semini eius in sæcula. Gloria Patri, et Filio, * et Spiritui Sancto. Sicut erat in principio, et nunc, et semper, * et in saecula saeculorum. Amen.

Ou, em português:

A minha alma engrandece ao Senhor * e se alegrou o meu espírito em Deus, meu Salvador, pois ele viu a pequenez de sua serva, * desde agora as gerações hão de chamar-me de bendita. O Poderoso fez por mim maravilhas * e Santo é o seu nome! Seu amor, de geração em geração, * chega a todos que o respeitam. Demonstrou o poder de seu braço, * dispersou os orgulhosos. Derrubou os poderosos de seus tronos * e os humildes exaltou. De bens saciou os famintos, * e despediu, sem nada, os ricos. Acolheu Israel, seu servidor, * fiel ao seu amor, como havia prometido aos nossos pais, * em favor de Abraão e de seus filhos, para sempre. Amém.

No final da recitação se diz:

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.

* R/. Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

Recitam todos á antífona:

R/. Do Oriente vieram os Magos a Belém para adorar o Senhor, e abrindo os seus tesouros ofereceram presentes caros: ouro para o Grande Rei, incenso para o verdadeiro Deus, e mirra em símbolo de seu enterro, aleluia!

Por cima da porta de casa, do lado exterior, o pai/provedor(a) escreve com giz, abençoado pelo sacerdote, o seguinte: 20+C+M+B+21. O 20 e o 21 representam 2021, o ano em que nos encontramos. O C M B representam Christus Mansionem Benedicat – Cristo Abençoe esta Casa, e cada letra é intercalada com uma cruz.

A sigla CMB também era entendida como representando os três reis magos (sendo que Gaspar pode ser escrito Caspar, Belchior pode ser escrito Melchior e Baltazar) e interpretado como uma forma de receber os magos em nossa casa. Terminado, o pai/provedor(a) recita a seguinte oração e depois asperge com água benta a porta:

Oremos.

Senhor Deus do Céu e da Terra, que revelastes o vosso Filho Unigênito a todas as nações com o sinal de uma estrela: Abençoai esta casa e todos os que nela habitam. Enchei-os com a luz de Cristo, e que o nosso amor pelos outros reflita o vosso amor. Pelo mesmo Cristo nosso Senhor. R/. Amém.

Abençoada a porta, o pai/provedor(a) recita a oração:

V/. O nosso auxílio + está no nome do Senhor.

R/. Que fez o céu e a terra.

V/. O Senhor esteja convosco.

R/. Ele está no meio de nós.

Oremos.

Ó Deus, que hoje revelastes o vosso Filho às nações, guiando-as pela estrela, concedei aos vossos servos, que já vos conhecem pela fé, contemplar-vos um dia face a face no céu. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

R/. Amém.

(Todos rezam o Pai-Nosso)

Encerra-se o rito cantando um hino, como o sugerido abaixo:

Canto Final

Vinde Cristãos, vinde à porfia

Hinos cantemos de louvor

Hinos de Paz e de alegria,

Hinos de anjos do Senhor

Glória a Deus nas alturas

Glória a Deus nas alturas

Vinde juntar-vos aos pastores

Vinde com eles a Belém

Vinde correndo pressurosos o

Salvador que enfim nos vem

Foi nesta noite Venturosa

do nascimento do Senhor

Que anjos de voz harmoniosa

deram a Deus o seu louvor.